07/10/2010

Poeta que vagava na metrópole. Não aguentou!

‎"deus, os dedos teus não me tocam... tudo dar-me-ei quando/quanto/como quiser assim fazer ou negar-me, tudo da mesma forma, deus. a Orgia! ela sim me toca. ... o excesso de comida, deus. a total falta dela, deus. o excesso de Amor, deus. o matar-se exageradamente, deus. o manter-se cândido, deus. a mistura da orgia! a total mistura de tudo/nada. e tu não me tocas."

marcelo bittencourt

Um comentário:

s. disse...

Ele foi tão livre, tão preso... Agora tão suspenso pelo tempo.